Artigos /  A Influência do Futsal nas posições dos atletas de Futebol do Santos F.C.



Para obter o artigo completo, envie um e-mail para contato@futsaltotal.com.br

 

A INFLUÊNCIA DO FUTSAL NAS POSIÇÕES DOS ATLETAS DE FUTSAL NO SANTOS F.C.

Autores: Felipe Sá, José Alexandre "Barata" e Renato Osis

 

INTRODUÇÃO

 

O futebol é a modalidade esportiva mais praticada em todo mundo, tendo no Brasil o maior número de praticantes, 11 milhões de adeptos segundo a FIFA (Federação Internacional de Futebol Association). Apesar de toda a desorganização e falta de profissionalismo por parte de diversos responsáveis a cada dia o número de adeptos cresce em relação a outras modalidades. Segundo a FIFA existem 1,7 milhões de praticantes do sexo masculino e mais de 175 mil do sexo feminino. Atualmente a FIFA possui um milhão e meio de praticantes confederados e a CBFS (Confederação Brasileira de Futebol de Salão) possui mais de trezentos e trinta mil inscritos.

Ligado ao futebol, o futsal vem adquirindo esses números por conseqüentes adaptações do jogo, pela forma dinâmica e pela falta de espaços para a prática do futebol. Esse aspecto tem tido relevância, pois a falta de segurança, a diminuição das áreas de lazer e casas, que normalmente teriam um quintal para essa prática, mesmo que lúdica, deixaram de fazer parte da infância dessa geração atual e a que está por vir, inibindo assim uma vivência tão importante para aquele futuro jogador.

Por se adaptar a pequenos espaços e tipos de materiais, como bolas, metas e demarcações, o futsal propicia uma prática rápida, sem depender de outros fatores que o futebol exige, dificultando e privando o exercício desportivo.

Diversos jogadores conseguiram ter essa infância repleta de experiências motoras por diversos fatores que o meio os proporcionaram, onde carregarão para o resto de suas vidas, que sem barreiras, puderam aproveitar todas as formas de prática motora, tomada de decisão, contribuindo para uma boa formação e desenvolvimento futuro dentro do futsal e futebol.

Atualmente pode-se perceber que uma grande parte dos atletas que jogam futsal, irão em alguma fase jogar futebol, transição essa muito comum, porém pouco estudada.

Sabendo-se dessa transição do futsal para o futebol, aproveitamos para verificar de que forma a vivência do futsal pode contribuir para o melhor desempenho no futebol, como um bom domínio de bola, passe, visão de jogo, tomadas de decisões, entre outros.

Diante dessas informações, para que haja possibilidade de verificar se o futsal influenciou na escolha das posições do futebol, objetivamos analisar por meio de uma pesquisa prospectiva, de caráter quantitativo, correlacionando as mudanças na transição de uma modalidade para a outra com tendências desses atletas jogarem em posições que exijam as habilidades do futsal.

 

11. DISCUSSÃO

 

De acordo com os dados obtidos, pode-se observar que dos atletas entrevistados, 95,5% praticaram futsal, dados esses explicado por Fonseca (2007), que acredita que o atleta inicia sua carreira, nas categorias de base de futsal.

            Foi visto que com relação à média de prática de futsal, não houve uma diferença significativa entre as categorias, mantendo uma média de 4 anos e meio. Acreditamos que esses atletas comecem a praticar cedo, incentivados pelo colégio, clubes, amigos e até mesmo dentro das próprias casas inventando brincadeiras que se assemelhem com o futebol.

Em relação ao nível que foi praticado o futsal, a maioria com 71,9% participou de campeonatos organizados pelas federações de cada estado.  Apenas 25% jogavam nos pátios escolares, e somente 3,1% por lazer. Esse fato reforça a idéia de que o futsal é o introdutor da maioria dos atletas de futebol, pois as federações de futebol só reconhecem e apóiam campeonatos oficiais a partir dos 14-15 anos de idade, ou seja, o atleta que sonha em jogar futebol, teoricamente precisará ter passagem pelo futsal (VOSER, 2006).

            Greco (2007) afirma que é muito importante que os profissionais de futsal e futebol, saibam interagir as duas modalidades, para que problemas como de sobrecarga de treinamento sejam evitados, e facilitem a transição.

Anteriormente a decisão do técnico ao optar pela posição do atleta, leva-se em consideração suas características técnicas, táticas, físicas e psicológicas. (SAAD, 2009). Dos atletas pesquisados, observou-se que 41,3% era “ala”, 31,7% eram “fixo” enquanto que 27% era “pivô” no futsal. Para Voser (2001) esse número elevado de ala, deve-se de que a maioria dos treinadores prefere dois alas no seu sistema de jogo.

            A média de prática no futebol encontrada da categoria sub 15 foi de 5,8 anos enquanto que no sub 17 foi de 7,2 anos, dados estes que confirmam que por volta dos 10 anos, os atletas já praticavam as duas modalidades simultaneamente. Com 15 anos, a maioria teve que optar por uma das modalidades, o que é uma predominância no Santos Futebol Clube.

            Em relação à posição no futebol, a maioria com 46,3% eram “meio-campo”, 19,4% eram “laterais”, 19,4% eram “atacantes” enquanto que somente 14,9% eram “zagueiros”. A prevalência do “meio-campo” deve-se as características semelhantes as do futsal e para Santos Filho (2002) o sistema tático no futebol prevalece mais jogadores meio-campo o que aumenta esse número.

 

12. CONCLUSÃO

 

Com a transição do futsal para o futebol, o futsal tem se tornado um facilitador indispensável de formação obrigatória para um futuro de sucesso no futebol. Temos alguns exemplos de jogadores que foram eleitos melhor do mundo pela FIFA, que tiveram início no futsal, como: Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo e Rivaldo.

            A importância do futsal para o futebol não está provada cientificamente, porém há um grande campo de evidências que vem avaliado a real contribuição dos atletas que iniciaram no futsal, para o futebol atual.

No entanto neste estudo, pudemos comprovar que os atletas que jogaram futsal, têm a tendência de serem jogadores com posições ofensivas no futebol. Acreditamos que por esta razão os atletas oriundos do futsal têm preferência do treinador em jogar no meio-campo, por serem responsáveis pela organização de jogadas.

            Acreditamos que isto se deve as habilidades que esses atletas adquiriram no futsal, tal como: visão de jogo, tomada de decisão, habilidade com a bola, bom passe, marcação, chutes e dribles curtos.             

REFERÊNCIAS

 

CBF. Regras oficiais de futebol. Disponível em: <www.google.com.br>. Acesso em: 10 9 2008.

CBFS. Regras oficiais de futsal. Disponível em: <www.google.com.br>. Acesso em: 10 9 2008.

DUARTE, Orlando. História dos Esportes. São Paulo: Makron Books, 2000. 99-103, 111-112 p.

FONSECA, Cris. Futsal: o berço do futebol brasileiro. São Paulo: Aleph, 2007.

GALLAHUE, David L. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos. São Paulo: Phorte, 2001.

FREIRE, J.B. Pedagogia do Futebol. Campinas: Autores Associados, 2006.

ROSE JUNIOR, Dante de. Modalidades Esportivas coletivas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

SANTANA, Wilton Carlos de. Futsal: apontamentos pedagógicos na iniciação e na especialização. Campinas: Autores Associados, 2008.

SANTOS FILHO, José Laudier Antunes dos. Manual de Futebol. São Paulo: Phorte, 2002.

VOSER, Rogério da Cunha. Futebol: história, técnica e treino de goleiro. Porto Alegre: Edipucrs, 2006.

VOSER, Rogério da Cunha. Futsal: Princípios técnicos e táticos. Rio de Janeiro:Sprint, 2001.

GRECO, Pablo Juan. Iniciação Esportiva Universal; 1 Da aprendizagem Motora ao Treinamento Técnico. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2007.